Voltar ao topo
SoftExpert no LinkedIn SoftExpert no Twitter SoftExpert no Facebook SoftExpert no Youtube
ISO/TS 14253-2

Visão Geral

ISO/TS 14253-1

Esta parte da ISO/TS 14253 estabelece as regras para determinar quando as características de uma peça específica ou equipamento de medição estão em conformidade ou não-conformidade com uma determinada tolerância (para uma peça) ou limites dos erros máximos admissíveis (de um equipamento de medição), tendo em conta a incerteza de medição.

Ele também define regras sobre como lidar com casos em que uma decisão clara, conformidade ou não-conformidade com a especificação, não podem ser tomadas, ou seja, quando o resultado da medição está dentro do intervalo de incerteza que existe em torno dos limites de especificação.

A parte 1 da ISO/TS 14253 não se aplica a inspeção usando calibres limite, a qual é coberta pela ISO / R 1938.

Publicado em março de 2002, o documento "Diretrizes para as regras de decisão: Considerando Incerteza de Medição na Determinação conformidade com as especificações" aborda especificamente a questão da aplicação de incerteza de medição em ambientes industriais. Uma regra de decisão é a receita para a aceitação ou rejeição dos produtos com base no resultado da medição de uma característica do produto, a variação admissível associada com essa característica, e a incerteza do resultado da medição.

Para peças a variação permitida é comumente chamada de tolerância, para instrumentos muitas vezes é dado pelos limites de especificação ou um erro máximo admissível (EMA). Algumas medidas, especialmente em NMIs, descrição do estado da medição, o seu resultado, e sua incerteza; as regras de decisão não estão envolvidas, pois não existem especificações do produto.

No entanto, as medições de cunho industrial são realizadas para determinar se um produto está de acordo com algumas especificações, por exemplo, se uma peça equivale à sua tolerância especificada. Nesta situação, o valor de medição é geralmente usado em uma decisão binária onde o produto é aceitável ou não. Esta classe geral de problemas, determinar se um resultado de medição produz um produto aceitável quando obscurecida pela incerteza de medição, não é abordada pelo GUM e representa uma economia importante à aplicação da incerteza de medição.

Por fim, os objetivos do documento são estabelecer um conjunto de requisitos para uma regra de decisão, definir uma terminologia que permite a comunicação inequívoca de qual regra de decisão está sendo utilizada, e fornecer regras bem documentadas de decisão que podem ser referenciadas.

ISO/TS 14253-2

ISO/TS 14253-2 fornece orientações sobre a aplicação do conceito do "Guia para a estimativa da incerteza de medição" (ISSO GUM resumida) para ser aplicado na indústria para a calibração de padrões e equipamentos de medição envolvidos na área de Especificações Geométricas de Produto - GPS e medição das características das peças. O objetivo é promover a informação completa sobre como atingir as declarações de incerteza e fornecer a base para a comparação internacional dos resultados de medição e suas incertezas (relação entre comprador e fornecedor).

ISO/TS 14253-2 apresenta o Processo de Gerenciamento de Incerteza (PUMA), o qual é um procedimento prático e interativo baseado na GUM para estimar a incerteza de medição, sem alterar os conceitos básicos da GUM. É destinado a ser utilizado geralmente para a estimativa da incerteza de medição, dando demonstrações de incerteza para: resultados da medição única, comparação dos resultados das medições de uma ou mais peças ou partes do equipamento de medição com especificações, ou seja, os erros máximos admissíveis – MPE's para uma característica metrológica de um instrumento de medição ou padrão de medição, e limites de tolerância para uma característica da peça, para comprovar a conformidade ou não-conformidade diante especificação.

O método iterativo é baseado basicamente em uma estratégia de limite superior, superestimando a incerteza em todos os níveis, no entanto, o número de iterações controla a quantidade de superestimação. A qual é necessária para evitar decisões erradas, baseadas em resultados de medição.

ISO/TS 14253-3

Especificações Geométricas do produto (GPS) - Inspeção por medição de peças e equipamentos de medição - Parte 3: Diretrizes para a obtenção de acordos sobre as demonstrações incerteza de medição.

A ISO/TS 14253-3 fornece diretrizes e define procedimentos para auxiliar o cliente e o fornecedor de chegar a consensos, de acordo com a norma ISO/TS 14253-1, sob o mérito da incerteza de medição e assim evitar litígios onerosos e demorados.

Basicamente a parte 3 é um relatório concebido para permitir que as partes envolvidas evitem potenciais ou reais desacordos sobre a magnitude de uma incerteza de medição, particularmente quando essa incerteza é parte de determinação da conformidade de um produto com especificação dimensional.

Com importantes interesses econômicos em jogo, não é de estranhar que os clientes e fornecedores podem discordar sobre a magnitude da declaração de incerteza de medição. Aplicando essas orientações às empresas a evitar divergências sobre declarações de incerteza de medição entre clientes e fornecedores e facilitar a resolução de divergências, caso ocorram.

Enquanto o documento foi inicialmente concebido para resolver desacordos quanto a incerteza de medição, o relatório aborda muitos fatores de formulação de orçamentos de incerteza que será útil para qualquer pessoa responsável por esta tarefa.

A ISO/TS 14253-3 está preocupada com a resolução de divergências entre as duas partes sobre uma disputa de uma declaração de incerteza de medição. O principal objetivo da ISO 14253-3 é obter um acordo entre as partes, enquanto enfatiza as questões metrológicas que procuram chegar a um acordo por meio da educação.

ISO/TS 14253-4

Especificações Geométricas do produto (GPS) - Inspeção por medição de peças e equipamentos de medição - Parte 4: Fundo de limites funcionais e limites de especificação nas regras de decisão

A ISO/TS 14253-4 apresenta as principais premissas por trás das regras de decisão teoricamente ideais estabelecidas na norma ISO/TS 14253-1. Ela explica por que essas regras têm que ser as regras padrão e que considerações devem ser levadas em conta antes de aplicar regras de decisão diferentes.

A parte 4 aplica-se a todas as especificações definidas em normas gerais de GPS, ou seja, as normas elaboradas pela ISO/TC 213, incluindo especificações de peças, geralmente dadas como limites de especificação, e especificações de equipamentos de medição, geralmente dada como erros máximos admissíveis.

Benefícios

ISO/TS 14253 promove beneficios para todas as funções técnicas em uma empresa na interpretação das especificações e tolerâncias das características da peça, também como, os valores de limite máximo de erro permitida (MPE’s) para medir características metrológicas do equipamento.

O método é uma ferramenta para maximizar os lucros e minimizar custos nas atividades metrológicas de uma empresa. Os procedimentos realizados são economicamente auto-ajustável. Também fornece suporte para alterar e reduzir a incerteza existente na medição, com o objetivo de redução de custos associados à metrologia. A utilização do método iterativo torna possível o compromisso entre o esforço, risco e custo na estimativa de incerteza de medição, também como, orçamentação.

O Desafio

Os problemas e os desafios associados a ISO/TS 14253 estão diretamente associados com seus princípios fundamentais listados abaixo:

ISO/TS 14253 fornece instruções detalhadas sobre como otimizar orçamentos diante dos processos de medição das oranizações. Estas instruções visam métodos de avaliação mais simples para as estimativas de incerteza que são o grande problema nos sistemas de medição. Na vida real (indústria) o conhecimento sobre os fatores que contribuem para a estimativa da incerteza é frequentemente muito limitado principalmente devido aos custos para estabelecer boas estimativas.

A incerteza de medição não é apenas interesse dos metrologistas. Até mesmo os designers e desenvolvedores de produto devem ser capazes de compreender e utilizar o conceito, principalmente devido à questões de conformidade do processos e produtos. Especificações devem ser estabelecidas e baseadas em históricos, sabendo que limites anteriores já foram violados, justamente  aonde a incerteza de medição foi ignorada. Os processos de fabricação não podem mais utilizar tolerâncias plenas, pois a incerteza de medição está exigindo trataivas cada vez mais particulares.

Na área de GPS, a mensuração da incerteza de especificação é um problema muito maior do que a definição da incerteza de medição, as medições realizadas com uma pequena fonte de incerteza de medição em muitos casos, tornam-se demasiadamente caras e sem utilidade, quando a incerteza especificação não é gerenciada e diminuída drasticamente.

Na prática, a experiência demonstra que os mais freqüentes e maiores erros na estimativa de incerteza vem do fato de que grandes fatores contribuintes são ignorados ou não considerados como presentes na situação real de medição. Os maiores erros não são provenientes dos métodos matemáticos utilizados e sim devidos ao fato de que o mensurando não está definido corretamente antes da realização dos cálculos.

Em muitos casos, a estimativa de incerteza e o valor resultante não tem nenhuma ligação com o método de medição. Essa é a razão, que a ISO/TS 14253, em sua instrução torna esta parte inicial da estimativa de incerteza fundamental para o sucesso nos resultados obtidos.

SoftExpert Excellence Suite oferece ferramentas para a implementação e manutenção completa dos processos de avaliação da incerteza de medição em conformidade com a ISO/TS 14253. Atuando em um ambiente colaborativo e integrado que garante o uso padronizado e correto das informações para garantir a excelência corporativa.


  • Coca-ColaO SE Action automatizou o gerenciamento das ações de melhoria contínua por meio do workflow, auxiliando na constatação da causa raiz, auxiliando no processo de elaboração de ações de correção.

    Gustavo Martins – Departamento de Qualidade

  • Laboratório GloboO SoftExpert foi implantado rapidamente e o tempo de aderência dos usuários a solução aconteceu de forma bem natural, considerando que para o segmento farmacêutico é uma exigência legal trabalhar com registros confiáveis e seguros, que garantam a qualidade dos produtos e não representem riscos a população.

    Randel Moreira – Gerente de TI

  • InergyO SoftExpert nos fez reduzir significativamente os custos através do controle eficaz dos processos de fabricação. Além disso, é importante destacar que as soluções SoftExpert atendem plenamente os requisitos exigidos pelas normas ISO 9001 e ISO/TS 16949.

    André Bernardes de Souza – Gerente de TI

  • EmgepronCom a solução SoftExpert, nossa fábrica reduziu consideravelmente os arquivos físicos e as horas de digitação, ganhando em produtividade e redução de custos, além de um gerenciamento eficiente do planejamento e da eficácia dos treinamentos de nossos colaboradores e dos nossos processos internos.

    Roberto Faria – Gerente de Fabricação Mecânica

  • Mitsubishi MotorsO software permite que o gerenciamento de documentos seja mais eficiente, como por exemplo, na rastreabilidade de documentos, e na conformidade com os requisitos em auditorias do sistema de gestão.

    Helton Calaça – Analista da Qualidade

  • OpetrecO SoftExpert permite o acesso online de qualquer lugar onde prestamos serviços garantindo rapidez nas respostas, por meio de informações fidedignas e atualizadas, o que facilita a tomada de decisão e a satisfação dos clientes.

    José Andrade – Gerente da Opetrec

  • GilletteOptamos pela SoftExpert pois a empresa elimina as limitações tecnológicas de outros fornecedores que avaliamos. A melhoria contínua de seus produtos teve um grande peso nessa decisão. Nos sentimos satisfeitos com o desempenho das soluções SoftExpert.

    Hiléia Moraes – Centro de Documentação Técnica

  • CarrierA solução SoftExpert além de agilizar na distribuição das informações do sistema de qualidade, nos propiciou contribuir também com o meio ambiente, pois não precisamos mais manter pilhas de papéis originais e obsoletos para auditorias.

    Solange Amaral – Analista de Recursos Humanos

  • CoinduCom o SoftExpert ganhamos facilidade e agilidade para as atividades, e o sistema foi considerado altamente qualificado para a renovação das certificações ISO/TS 16949 e ISO 14001.

    Cristina Pereira – Technology Manager

  • CelgCom SoftExpert, gerenciamos de forma integrada o arquivo físico central, os documentos eletrônicos departamentais, as plantas de engenharia, os grandes volumes de imagens digitalizadas, e a tramitação dos processos eletrônicos.

    Júlio Fratus – Centro de Documentação

  • Group RoullierO SE Document atende totalmente aos requisitos de controle de documentos, facilitando a localização, revisão e gerenciamento dos documentos.

    Janaina Salatti – Coordenadora da Qualidade

  • Universal Leaf TabacosO SoftExpert proporciona o controle dos documentos que se referem as normas ISO, como outros tipos de documentos cuja distribuição, aprovação, revisão, cópias impressas e o acesso rápido são necessários. Atualmente com mais de 1.100 usuários e 3.500 documentos, não poderíamos mais manter o gerenciamento destas informações.

    Carla Regina Schmitt

  • CTA-ContinentalA solução SoftExpert além de agilizar na distribuição das informações do sistema de qualidade, nos propiciou contribuir também com o meio ambiente, pois não precisamos mais manter pilhas de papéis originais e obsoletos para auditorias.

    Ângela Fischer

A Solução

Cada componente do SoftExpert Excellence Suite atende um requisito chave, como mostrado abaixo:

Módulo Requisitos
SE Action Plan
SE Action Plan
  • Auxilia no gerenciamento de todas as etapas do processo de planejamento, execução e monitoramente de atividades e planos de ações, sejam eles: corretivos, preventivos ou preditivos.
SE Asset
SE Asset
  • Gerencia o processo de aprovação antes que os ativos sejam disponibilizados para uso
  • Controla e registra todas as alterações realizadas em qualquer classe de ativos
  • Promove o registro detalhado de calibração e verificação para cada ativo
  • Define e aplica intervalos e freqüências de calibração dos ativos, incluindo geração de responsabilidades e pendências
  • Executa e controla todas as movimentações dos ativos ligados aos processos da empresa.
  • Permite o conhecimento de quais ativos estão disponíveis e como estão sendo utilizados
SE Audit
SE Audit
  • Programa auditorias, levando em consideração o escopo, a situação e a importância dos processos e/ ou áreas a serem auditados
  • Define critérios, métodos, responsabilidades e requisitos a serem auditados
SE Calibration
SE Calibration
  • Identifica e monitora todas as medições que devem ser realizadas
  • Gerencia dispositivos e equipamentos que demandam monitoramento e medições
  • Desenvolve e executa processos de medição
  • Calibra os padrões e equipamentos de medição
  • Automatiza o agendamento e execução de calibrações
  • Suporta incertezas do Tipo A e Tipo B, erros, histereses, entre outros
  • Identifica quais padrões são utilizados nas calibrações
  • Promove escolha de freqüências de calibração baseadas em datas ou uso
  • Mantém e recupera dados de equipamentos mestre, histórico de calibração e os registros de dados de medição
  • Análise da variação do processo de medição - Repetibilidade e Reprodutibilidade (R & R)
SE Competence
SE Competence
  • Determina as competências necessárias às equipes relacionadas com processos que envolvam medições em ativos e principalmente processos de calibração
  • Avalia a eficácia das ações executadas
  • Ajuda na conscientização da pertinência e da importância das atividades realizadas por cada pessoa e de como elas contribuem para atingir os objetivos propostos pela organização
  • Gerencia a manutenção dos registros de educação, habilidade e experiência>
SE Document
SE Document
  • Garante o armazenamento de toda a documentação relacionada aos planos de medição e procedimentos de calibração
  • Permite a retenção dos registros, respeitando requisitos regulamentados
  • Automatiza o encaminhamento, a revisão, a aprovação entre outras atividades, aumentando a eficiência da equipe
  • Garante que apenas a última versão do documento seja utilizada, evitando o uso de documentos obsoletos
SE FMEA
SE FMEA
  • Desenvolve toda estrutura hierárquica de todos os tipos de FMEA – incluindo o MFMEA – desde o primeiro até o mais baixo nível gerando automaticamente os formulários.
  • Disponibiliza o catálogo de ativos, produtos e processos, funções, falhas, modos, efeitos, causas e controles a fim de agilizar a criação do FMEA
  • Calcula automaticamente promove o ranking dos RPN's através de gráficos e consultas
  • Automaticamente envia pendências de ações preventivas e corretivas para tratativa dos riscos envolvidos nos ativos, processos e produtos
SE MSA
SE MSA
  • Fornece orientação para o desenvolvimento formal de um sistema de medição
  • Estabelece a aceitabilidade dos processos de fabricação
  • Classifica equipamentos baseado em diversos critérios tais como, aplicações de laboratórios, local de utilização, tipo de equipamento, etc...
  • Demonstra como encontrar as causas raiz nos processos de medição e explora causa básicas para investigação
  • Padroniza processos de medição envolvidos em calibrações de equipamentos
  • Fornece formas padrão para coletas de dados de medição
  • Mantém documentado processos e instruções para execução dos estudos
  • Define escalas especificas para cada tipo de equipamento e suas respectivas características analisadas
  • Provê calibrações fixas e variáveis
  • Integra documentos, calendários, estudos de estabilidade, tendência, linearidade, R&R, ANOVA e outros
  • Compara a performance dos equipamentos antes e após os reparos e ajustes
  • Disponibiliza análises completas através de gráficos de media, amplitude, erros, histogramas, linearidade e outros
SE PDM
SE PDM
  • Suporte para ilimitados tipos de produtos, atributos e especificações, categorias e sub-categorias, imagens, relacionamentos e principalmente a Especificação Geométrica do Produto - GPS
  • Garante a verificação do produto ao mais elevado nível de integridade e precisão
  • Promove acesso às informações alinhadas ao produto incluindo, as definições de cliente e fornecedores, autorização de fornecedores, estrutura de produtos, medições e análises realizadas no desenvolvimento do produto
  • Fornece informações sobre os componentes padrão do produto facilitando a reutilização nas etapas de desenvolvimento
  • Controla todas as alterações relacionadas ao produto
  • Disponibiliza funcionalidades de workflow tronando ativos os envolvidos nas atividades de desenvolvimento de produto, revisões de design, alterações da engenharia, aprovações e processos de fabricação
  • Mantém uma trilha de auditoria extensiva de todas as atividades realizadas no sistema, o que é essencial para o cumprimento regulamentar
SE Process
SE Process
  • Proporciona o desenho do fluxograma de produção
  • Permite visualizar no fluxograma os locais onde os materiais são adicionados e onde os equipamentos são utilizados
  • Controla e gerencia todas as alterações no fluxograma
  • Garante a verificação e a aprovação do fluxograma pela equipe
  • Garante a rastreabilidade
SE Request
SE Request
  • Automatiza os processos de solicitação de registro de calibrações e medições
  • Define e controla prazos e responsáveis
  • Configura níveis de satisfação dos serviços e atividades executadas
  • Otimiza a produtividade e Qualidade frente às solicitações através de cheklists e aprovações
SE Risk
SE Risk
  • Facilita a identificação dos riscos do produto e dos ingredientes
  • Facilita a realização da análise de risco com base em diferentes métodos de avaliação de risco
  • Automatiza a aplicação das avaliações de risco
  • Realiza a definição dos programas de pré-requisito
  • Facilita a identificação e avaliação das medidas de controle associadas ao risco
  • Identifica e monitora os Pontos Críticos de Controle (PCCs)
  • Facilita a determinação dos PCCs usando árvores de decisão flexíveis
  • Garante o acompanhamento e revisão contínua do processo de gestão de riscos
  • Determina a avaliação de risco residual, identificando as opções de tratamento e sua aplicação
SE Training
SE Training
  • Gerencia o treinamento e outras ações implementadas para atingir a competência necessária alinhadas ao sistema de medição
  • Avalia a eficácia dos treinamentos
  • Ajuda na conscientização da pertinência e da importância das atividades realizadas por cada pessoa e de como ela contribui para atingir os objetivos propostos pela organização
  • Gerencia a manutenção de registros dos treinamentos

Sobre a SoftExpert

A SoftExpert é a empresa líder de mercado em soluções para a excelência na gestão, fornecendo softwares e serviços para o aprimoramento de processos de negócio, conformidade regulamentar e governança corporativa.

Fundada em 1995 e contando atualmente com mais de 2 mil clientes e 300 mil usuários ao redor do mundo, as soluções da SoftExpert são utilizadas por empresas dos mais variados portes e ramos de atuação, incluindo manufatura, governo, farmacêutico, hospitais e laboratórios, serviços financeiros, alta tecnologia e TI, educação, energia e utilidade pública, logística, varejo, serviços, dentre outros.

Em conjunto com a sua rede de parceiros nacionais e internacionais, a SoftExpert oferece serviços de implantação, treinamento, hospedagem, validação, suporte e assistência técnica, com o intuito de assegurar que seus clientes obtenham sempre o máximo de retorno sobre seus investimentos.

Share
Follow Us
Contatos

Comercial - vendas@softexpert.com / 0800 723 9901

SAC - (47) 2101 9999  


Ouvidoria - ouvidoria@softexpert.com

Copyright © SoftExpert Software for Performance Excellence.
All trademarks, trade names, service marks, and logos referenced herein belong to their respective companies.